• A-
    A+
  • Português
  • Українською
20 ANOS DAS RELAÇÕES DIPLOMÁTICAS ENTRE A UCRÂNIA E O BRASIL
08 fevereiro 2012 15:50

A história das relações diplomáticas entre a Ucrânia e a República Federativa do Brasil começa em 11 de fevereiro de 1992. Procurando desenvolver a cooperação bilateral mutuamente benéfica em interesses de ambas as nações, e estando convencidos de que essa cooperação vai fortalecer a paz universal e a segurança internacional, os Ministros dos Relações Exteriores da Ucrânia, Anatoliy Zlenko, e do Brasil, Francisco Rezek, assinaram um acordo sob forma de troca de cartas sobre o estabelecimento de relações diplomáticas.

Um passo seguinte foi a abertura de missões diplomáticas e consulares – a Embaixada do Brasil em Kyiv foi fundada em 04 de janeiro de 1995, e em julho daquele ano iniciou o seu trabalho Embaixada da Ucrânia na capital federal brasileira. Ademais, no Brasil, foram estabelecidos dois postos consulares ucranianas: em Curitiba, em 1996, e no Rio de Janeiro, em 2000.

Durante estes anos, o diálogo político entre os dois países estava desenvolvendo com um dinamismo por meio de troca de visitas de Chefes de Estados e de Governos, cnaceleres e outros altos oficiais. Em outubro de 1991, o Primeiro-Ministro da Ucrânia visitou o Brasil. Os Presidentes da Ucrânia tinham feito uma visita de estado (em 2011) e dois visitas oficiais (em 1995 e 2003). Além disso, os Chefes dos estados ucraniano e brasileiro encontravam-se durante vários fóruns internacionais, particularmente a Assembleia Geral da ONU em Nova York (nos anos 2003, 2005, 2009 e 2011) e a Cúpula do Desenvolvimento Sustentável em Joanesburgo (em 2002). Durante a Cúpula de BRICS, em 2011 na cidade chinesa de Sanya, realizou-se uma reunião bilateral entre o Primeiro-Ministro da Ucrânia Mykola Azarov e a Presidenta do Brasil Dilma Rousseff. Os Ministros das Relações Exteriores da Ucrânia visitaram o Brasil em 1995 e 2012 com visitas oficiais, e em 2005 com visita de trabalho.

Os líderes brasileiros chegaram à Ucrânia com visitas de estado em 2002 e 2009. Esta última visita do Presidente do Brasil Luiz Inásio Lula da Silva, em dezembro de 2009, tornou-se um marco nas relações ucraniano-brasileiras, quando os Chefes de ambos os países concordaram em elevar as relações bilaterais ao nível de parceria estratégica.

Em 2011, depois de posse presidencial da Presidenta do Brasil Dilma Rousseff, as partes reafirmaram o seu compromisso com parceria estratégica, que, em particular, foi confirmado pelos resultados da visita de estado do Presidente da Ucrânia Victor Yanukovych para o Brasil em outubro de 2011. As partes comprometeram-se a preencher a parceria com o conteúdo concreto via realização dos projetos existentes e iniciação dos projetos novos. E, em menos de 3 meses – em janeiro de 2012, na continuação destes acordos o Ministro das Relações Exteriores da Ucrânia Kostyantyn Gryshchenko realizou a visita oficial ao Brasil.

Estes contatos frutíferos internacionais resultaram-se em amlpliação significativa da base legal, que hoje em dia totaliza 79 acordos bilaterais vigentes. Uma prova concreta da natureza estratégica da parceria ucraniano-brasileira foi a entrada em vigor, no final de 2011, do Acordo intergovernamental sobre a isenção parcial de vistos, que facilitou o intercãmbio turístico e abriu novas oportunidades de cooperação entre empresário dos dois países.

Um instrumento importante para a cooperação entre os países são os organismos bilaterais de alto nível, tais como a Comissão Intergovernamental sobre comércio e cooperação econômica e Sub-Comissão sobre comércio e investimento. Levando em conta essa experiência sucessível, as partes concordaram recentemente em estabelecer o Comitê Consultivo para a Agricultura.

Desenvolve-se com sucesso o relacionamento ucraniano-brasileiro no âmbito das organizações internacionais. Em especial, a Ucrânia aprecia os esforços significativos do Brasil para o fortalecimento da paz e estabilidade internacional, particularmente durante sua participação no Conselho de Segurança da ONU, como um membro não-permanente, no biênio 2010-2011, apóia a aspiração do Brasil de integrar, como membro permanente, um Conselho de Segurança ampliado. Exemplos recentes que confirmam o elevado nível de compreensão mútua entre as partes são o apóio ucraniano nas eleições do brasileiro José da Silva Graciano ao cargo do Chefe da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação das Nações Unidas, e compromisso brasileiro de apoiar a candidatura da Ucrânia nas eleições dos membros não-permanentes do Conselho de Segurança da ONU para o período 2016-2017.

Hoje em dia, o Brasil não é apenas estratégico, mas também o principal parceiro econômico da Ucrânia na América Latina. Segundo as estatísticas da Ucrânia e do Brasil, o comércio bilateral entre os países em 2011 atingiu um nível de mais de US $ 1 bilhão, que corresponde ao nível pré-crise de 2008. Além disso, as partes estão ativamente a desenvolvendo vários projetos conjuntos de alta tecnologia. Particularmente trata-se do programa "Cyclone-4 - Alcântara" (projeto de construção do cosmódromo em Maranhão para os lançamentos espaciais utilizando o foguete ucraniano), bem como de constrição no Brasil de uma fábrica de insulina utilizando tecnologias ucranianos.

A Ucrânia está disposta a aprofundar a cooperação mutuamente benéfica com o Brasil nas indústrias de alta tecnologia, nos quias nosso país tem as mais modernas práticas e tecnologias. Em particular, na construção aeronáutica, construção naval, máquinas industriais, indústrias químicas e de mineração. Por seu lado, a economia ucraniana está interessada em tecnologias brasileiras de biocombustível e desenvolvimento de depósitos de hidrocarbonetos profundas. Alto potencial de desenvolvimento tem a cooperação técnico-militar.

A parte ucraniana considera as amplas perspectivas para o aprofundamento da cooperação na área de educação e formação. Em particular, no âmbito do programa do Governo do Brasil "Ciência sem Fronteiras", nosso país está pronto para oferecer os serviços de suas universidades que têm a experiência reconhecida em todo o mundo em formação dos especialistas, particularmente para as indústrias de alta tecnologia, incluindo foguetes e aviões.

Um papel significativo no desenvolvimento da cooperação bilateral entre os dois países desempenha a comunidade de meio milhão dos ucranianos no Brasil, que recentemente comemorou um aniversário notável - 120 anos do início da imigração ucraniana para o Brasil. Este papel dos ucraninanos em desenvolvimento sócio-económico do Brasil é reconhecido pelos autoridaes deste país sul-americano. Isto é comprovado, em particular, por adopção pela parte brasileira da lei, que estabelece o Dia Nacional da comunidade ucraniana no Brasil, celebrado anualmente em 24 de agosto. A contribuição importante da comunidade ucraniana para o enriquecimento da cultura plural distintiva do Brasil foi destacada também pelos Chefes dos dois Estados em uma declaração conjunta durante a visita de estado recente do Presidente da Ucrânia ao Brasil.

Outdated Browser
Для комфортної роботи в Мережі потрібен сучасний браузер. Тут можна знайти останні версії.
Outdated Browser
Цей сайт призначений для комп'ютерів, але
ви можете вільно користуватися ним.
67.15%
людей використовує
цей браузер
Google Chrome
Доступно для
  • Windows
  • Mac OS
  • Linux
9.6%
людей використовує
цей браузер
Mozilla Firefox
Доступно для
  • Windows
  • Mac OS
  • Linux
4.5%
людей використовує
цей браузер
Microsoft Edge
Доступно для
  • Windows
  • Mac OS
3.15%
людей використовує
цей браузер
Доступно для
  • Windows
  • Mac OS
  • Linux